Adaptação de Veículos

A adaptação de um veículo varia segundo o grau de lesão do específico condutor. Mudando o grau da lesão e a força restante – ou ainda que retornou –, as funções poderão viabilizar o condutor de dirigir veículos adaptados com comandos manuais. No entanto, é necessária a adaptação do condutor à nova forma de dirigir. Afinal, a força mudou e, em muitos casos, as habilidades cognitivas apresentaram leve déficit. Portanto, ao adaptar o novo veículo, é importante treinar a condução nessa nova forma de direção.

 

Como funciona a adaptação de veículo ?

Freio e acelerador: neste específico comando poderá ser utilizada uma alavanca que, ao ser acionada para traz, acelera o veículo imediatamente. Já quando é empurrada para frente, ela acaba por acionar o breque, e a parada do veículo é imediata. Essa é a forma mais prática e barata de realizar adaptação, além de tornar universal para quem possui braços de tamanhos mais curtos.

Freio de mão: a forma mais fácil e prática para acionar o breque pela mão, para carros de passeios, é por meio de um botão que, ativado, desacelerará o veículo. O mecanismo poderá ser realizado por meio de uma alavanca ou artifícios semelhantes a alças.

Volante: o principal recurso de busca para adaptação de veículo é o volante. Coloca-se uma alça com o intuito de encaixar a mão de maneira simples, ou ainda a junção de dois ou três pinos para a inserção do punho e/ou dedos.

 

Comandos: os comandos que dizem respeito à luz, setas, travas, faróis ou demais recursos necessários para uso durante a condução poderão ser adaptados conforme necessidade do condutor.

© 2018 Autoescola Metropole.

Desenvolvido por
Arthur Busqueiro
Tiago Penello
Roberto Ribeiro